História

SINBIESP: 10 anos de lutas e conquistas

Fundado em 17 de novembro de 2003 por um grupo de biomédicos da capital preocupados com a falta de representatividade sindical da categoria e o consequente sentimento de desassistência dos direitos trabalhistas de seus profissionais (o Estado de São Paulo concentra o maior número de biomédicos do país), o Sindicato dos Biomédicos Profissionais do Estado de São Paulo (SINBIESP) é hoje um dos principais pilares de apoio de toda a categoria.

A luta teve início no início dos anos 1990 com a mobilização dos drs. Luiz Guedes (eleito o primeiro presidente), Marcos Caparbo (um dos fundadores da Federação Nacional dos Biomédicos - FENABIO - e primeiro presidente), Carlos Eduardo Freire da Silva, Ney Piroselli, Elaine Ferreira da Silva, Lobbe Neto, Marcelo Ito Shimizu, Cintia Duran e Maria Aparecida Prado Gomes, muitos dos quais ainda hoje presentes na direção do Sindicato. Após reuniões no Ministério do Trabalho, em Brasília, o grupo de idealizadores do SINBIESP conseguiu o direito de representar o biomédico profissional, cabendo ao então sindicato da categoria, com base na cidade de Ribeirão Preto, interior do Estado, a incumbência de atuar como Sindicato Patronal dos biomédicos.

O fechamento do primeiro acordo coletivo de trabalho, com o Sindicato dos Hospitais, Clínicas, Casas de Saúde, Laboratórios de Pesquisas e Análises Clínicas do Estado de São Paulo (SINDHOSP), em 2006, foi uma das conquistas iniciais do SINBIESP e representou expressivo avanço para os profissionais envolvidos.

Segundo o dr. Marcos Caparbo, uma das principais dificuldades do SINBIESP no início das negociações foi o aumento do piso da categoria, visto que, até então sem representatividade sindical própria, os biomédicos estavam sujeitos a remunerações baseadas no salário mínimo ou em pisos de outras profissões da saúde. As negociações foram avançando ano a ano e, somadas aos benefícios conquistados, atualmente refletem um maior reconhecimento e a valorização dos profissionais, ofertando mais tranquilidade e segurança para o biomédico no desempenho de sua função.

Em março de 2006, apesar de contar com poucos recursos, o Sindicato publicou a primeira revista como forma de divulgar suas atividades e convidar mais profissionais a participar. Em poucas páginas, contou a história da fundação e trouxe impresso no Editorial mensagem assinada pelo dr. Luiz Guedes.

No texto, o presidente lembrou a colaboração dos colegas no movimento de criação do SINBIESP e de nomes como o do biomédico e então deputado federal Lobbe Neto, autor do projeto que criou o Dia Nacional do Biomédico (20 de novembro). Convocando todos a trabalhar, assegurou que as contribuições previstas em lei retornariam em forma de benefícios e serviços a todos os associados. “Para que o SINBIESP seja forte, conclamo cada um dos profissionais biomédicos do Estado de São Paulo a trazer um pouco de seu estímulo e apoio. Podem ser medidas simples se tomadas individualmente para cada biomédico, mas em seu conjunto elas terão o poder de condicionar o futuro progressista do SINBIESP e de toda a nossa categoria profissional”, afirmou na ocasião.

A publicação trouxe ainda importante entrevista com o dr. Aparecido Inácio Ferrari de Medeiros, do Escritório Aparecido Inácio e Pereira Advogados Associados - responsável pela assessoria jurídica do SINBIESP, e que esteve ao lado dos fundadores orientando em todo o processo de formação do Sindicato - sobre a importância da sindicalização.

A divulgação tomou força com a realização, em maio do mesmo ano, de encontro no Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), na capital, para dirimir dúvidas trabalhistas em palestra proferida pelo dr. Aparecido Inácio F. de Medeiros, e durante mesa-redonda, que contou com as presenças de membros do SINBIESP, dos conselhos Regional e Federal de Biomedicina (CFBM) e do Sindicato Patronal.

Nesse período, o SINBIESP passou a proporcionar amparo jurídico, buscando assegurar os direitos previstos em lei aos biomédicos profissionais no exercício de suas atividades. Exemplo maior verifica-se no caso dos que atuam em imagenologia, muitas vezes impedidos de trabalhar em razão de autuações descabidas impostas por conselhos alheios à categoria. O problema, já superado no Estado de São Paulo, infelizmente ainda é verificado em algumas cidades do país.

Em razão do empenho de sua diretoria social importantes benefícios começaram a ser disponibilizados aos associados, como o Plano de Saúde Coletivo por adesão, a preços e condições mais favoráveis firmados com as principais operadoras do mercado.

Fruto da seriedade, esforço e competência de seus membros, e principalmente da adesão de novos associados, o SINBIESP cresceu. Há alguns anos a diretoria passou inclusive a auxiliar os interessados na formação de sindicatos em outros Estados e atuou ativamente na formação da Federação Nacional dos Biomédicos (FENABIO), fundada no início de 2012.

Além disso, o SINBIESP vem conseguindo, em parceria com o Conselho Regional de Biomedicina (CRBM) - 1ª Região, presidido pelo dr. Dácio Eduardo Leandro Campos, importantes avanços para a categoria. Os próximos passos deverão contemplar o investimento em infraestrutura, com a aquisição de imóvel para a sede e a construção de uma colônia de férias para desfrute dos associados e de seus familiares. Na pauta do Sindicato, a constante luta por melhores condições salariais e de trabalho aos biomédicos profissionais.